Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
EN PT
banner site.png

 Dia Internacional do Fascínio das Plantas 2021


Lançado pela European Plant Science Organization (EPSO), o Dia Internacional do Fascínio das Plantas procura despertar o entusiasmo e chamar a atenção para a importância da ciência das plantas em diversos campos, da agricultura e produção sustentável de alimentos à horticultura, silvicultura e produção de bens não-alimentares. A iniciativa assinala-se, tradicionalmente, a cada dois anos, no dia 18 de maio.

Em Portugal esta iniciativa é coordenada pelo Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier da Universidade Nova de Lisboa (ITQB NOVA) e Sociedade Portuguesa de Biologia das Plantas e pretende que as instituições e empresas nacionais se juntem às centenas de entidades, de mais de 40 países, para festejar o maravilhoso mundo das plantas. 

Embora a celebração do Dia Internacional do Fascínio das Plantas com a realização de eventos presenciais tenha sido adiada para 2022, em função da pandemia COVID-19, a EPSO desafiou as instituições por todo o mundo a assinalar este dia também em 2021 através de alternativas online interativas e igualmente inspiradoras.

A Escola de Ciências da Universidade do Minho é uma das instituições que se junta a esta celebração do fascínio das  plantas, com um programa de atividades diversificado.

Quem consegue florir melhor? (Concurso criativo)

Descrição: Neste concurso, promovido pelo Centro de Biologia Funcional de Plantas (pólo do BioISI) da Escola de Ciências da UMinho, com o apoio do Pelouro do Ambiente do Município de Braga, é solicitado aos alunos do pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico que ponham em prática a sua criatividade e, utilizando diversas técnicas (desenho e/ou pintura e/ou colagem, etc), representem diferentes flores. A ideia é tentar ilustrar toda a beleza, diversidade e magia das flores. Todos os trabalhos recebidos serão incluídos numa exposição virtual, que será divulgada no Dia do Fascínio das Plantas, no dia 18 de maio de 2021. 
Público alvo: alunos do pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico no concelho de Braga.
Prazo para envio dos trabalhos: 30 de abril de 2021.

Powered by emaze

SolanArt (Galeria virtual)

Descrição: A família botânica Solanaceae é fascinante e por isso mesmo merecedora de ser comemorada neste Dia Internacional do Fascínio das Plantas. É composta por quase 3000 espécies que, como em qualquer família, partilham semelhanças, mas manifestam também grande diversidade. A família Solanaceae inclui plantas de grande importância na alimentação como a batateira (Solanum tuberosum), o tomateiro (Solanum lycopersicum) e os pimenteiros (Capsicum sp). Por outro lado, contém outras não alimentares de grande valor económico como a planta do tabaco (Nicotiana tabacum). Há ainda plantas medicinais como a lobeira (Solanum lycocarpum) e outras que têm tanto de belas como de venenosas. É o caso da beladona (Atropa belladonna). A própria batateira produz solanina, um alcalóide que pode provocar distúrbios digestivos, respiratórios e neurológicos. 
SolanArt consiste numa galeria virtual de 10 ilustrações, representando outras tantas espécies de solanáceas presentes na flora portuguesa e/ou brasileira. A acompanhá-las encontra-se informação de texto dirigida a um público generalizado, que dará a conhecer aspetos interessantes de cada uma das plantas. 
O projecto SolanArt tem como autoras Ana Clara Cavalcante e Ana Margarida Oliveira, alunas da Licenciatura em Biologia Aplicada e colaboradoras do projeto STOL-Science Through Our Lives, projeto de Comunicação de Ciência do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho.
Público alvo: público generalizado.
Horário: Em permanência.


Solanum_lycocarpum_III.jpg
​O Livro: um ilusório obsoleto (exposição de escultura)

Descrição: O Colégio D. Pedro V (Braga) iniciou uma incubadora de arte como mote para o trabalho pedagógico, que resultará numa exposição de escultura. Subjacente ao tema que dá nome à exposição, os alunos puderam explorar, através de várias vertentes artísticas, a singularidade impressa no objeto livro e, por tal, que lhe confere um poder transversal, mesmo que possa ser considerado obsoleto. Durante a exploração, as crianças do ensino pré-escolar direcionaram a temática para uma reflexão sobre a importância das árvores, numa perspetiva de estas serem a matéria-prima que desencadeará o livro enquanto objeto. Cada sala de alunos trabalhou o tema em diferentes aspetos relacionados com a simbologia da árvore – a árvore como símbolo do tempo, de alimento, de generosidade, de abrigo – elaborando esculturas individuais ou coletivas, com recurso aos mais variados materiais, e que integram a exposição apresentada no dia mundial do livro na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (Braga). A exposição tem, também, uma visita virtual guiada, disponível para a disseminação da iniciativa, apadrinhada pela Rede de Escolas Associadas da UNESCO da qual o Colégio D. Pedro V faz parte. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com o projeto STOL-Science Through Our Lives, projeto de Comunicação de Ciência do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho.
Público alvo: público generalizado.
Local: Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga.
Horário: dia 18 de maio, das 9h às 17h.
Visita virtual guiada:


livro.jpg
​Teares de Natureza (Exposição virtual)

Descrição: Os alunos do Ensino Pré-Escolar e do 1.º Ciclo do Colégio D Pedro V (Braga) desenvolvem pequenos teares com plantas e cartão reciclado, utilizando técnicas de Ecoarte.  Simultaneamente, refletem sobre a importância de cuidar das plantas e sobre o seu papel no ambiente. Afinal de contas, as plantas também cuidam de nós. Os teares figurarão numa exposição virtual na plataforma Padlet. Esta atividade integra-se na Incubadora de Arte desenvolvida pelo Colégio D. Pedro V durante o presente ano letivo, que visa disponibilizar momentos de exploração holística e desenvolvimento artístico das crianças. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com o projeto STOL-Science Through Our Lives, projeto de Comunicação de Ciência do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho.
Público alvo: público generalizado.
Horário: a partir do dia 18 de maio.

teares.jpg
Mas as plantas têm micróbios a crescer dentro delas? (Vídeo demonstrativo seguido de um encontro por Zoom)

Descrição: Nesta atividade será demonstrado que as folhas de uma planta apresentam uma grande diversidade de microrganismos a crescer no seu interior. Assim, serão esterilizadas folhas de uma planta e fragmentos das mesmas serão introduzidos em meios de cultura, apropriados ao crescimento microbiano. Será verificado que. no final de 3 dias, aparecerá uma diversidade de fungos/bactérias, os quais correspondem a endófitos.  Será explicada a vantagem desse tipo de micróbios para as plantas e qual o proveito que o Homem poderá tirar do seu isolamento. Iniciativa promovida pelo Centro de Biologia Funcional de Plantas (pólo do BioISI) da Escola de Ciências da UMinho.
Público alvo: alunos do ensino secundário e público generalizado.
Local: Online.
Horário: dia 18 de maio, às 9h30 e 14h30


Mas as plantas.jpg
Folhas Colhidas (leitura encenada de história)

Descrição:  Tendo como base alguns clássicos da literatura portuguesa, “Folhas colhidas” surge como uma atividade de escrita criativa para a conceção de uma história coletiva sobre os “sentimentos das plantas”, por parte da turma do 4.º Ano do Colégio D Pedro V (Braga). Entendam-se estes sentimentos numa perspetiva de cultura ambiental e sensibilização para a sustentabilidade do planeta. 
A história será contada ao vivo, por alunos e professora, em jeito de leitura encenada e com recurso à ilustração desenvolvida com técnicas de Ecoarte utilizando materiais naturais sustentáveis, tais como terra, pedra, folhas ou ramos. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com o projeto STOL-Science Through Our Lives, projeto de Comunicação de Ciência do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho.
Público alvo: público generalizado.
Local: Online.
Horário: dia 18 de maio, às 10h.


folhas.jpg
Boys vs. Girls: como estudar os genes que definem o sexo das flores? (Vídeo demonstrativo seguido de um encontro por Zoom)

Descrição: Nesta atividade serão explicadas metodologias que permitem avaliar de que forma os genes que controlam a floração são expressos em espécies com flores femininas e masculinas separadas, como é o caso do sobreiro e do castanheiro. Será extraído material genético de tecidos vegetais e será feita a análise de genes responsáveis pelo seu desenvolvimento através de técnicas de biologia molecular. No vídeo será explicada a importância do estudo dos genes na compreensão do sucesso reprodutivo e na produtividade destas espécies. Iniciativa promovida pelo Centro de Biologia Funcional de Plantas (pólo do BioISI) da Escola de Ciências da UMinho.
Público alvo: alunos do ensino secundário e público generalizado.
Local: Online.
Horário: dia 18 de maio, às 10h30 e 15h30

Boys and girls.png
Os micróbios agricultores são tão queridos!!!! (conversa demonstrativa e discussão online)

Descrição: Nesta atividade é explicada a importância dos micróbios na agricultura. Será feita referência aos micróbios “maus”, causadores das doenças nas plantas e muitas vezes visíveis nos frutos, mas também será referido o papel dos micróbios “bons” na agricultura. Esta atividade pretende explicar a importância do mundo microbiano, revelando e enaltecendo o seu potencial na agricultura. Iniciativa promovida pelo Centro de Biologia Funcional de Plantas (pólo do BioISI) da Escola de Ciências da UMinho. 
Público Alvo: alunos do 1º e 2º ciclo do ensino básico e público generalizado.
Local: Online.
Horário: dia 18 de maio, às 11h30 e 16h30

microbes.png
​Plants on…TOP! (Palestra)

Orador: Isabel Aguiar Pinto Mina, Departamento de Biologia da Escola de Ciências da UMinho.
Descrição: Da flor mais singela à árvore centenária nunca as podemos perder de vista. As plantas são elementos dominantes na maioria das paisagens terrestres naturais e, tal como a água, imprescindíveis no nosso planeta. Responsáveis por muito do oxigénio de que precisamos para respirar, a presença de plantas inspira-nos e enche-nos de serenidade.
Mas o Homem foi ocupando os seus espaços, muitas vezes sem cuidado e parecendo esquecer a falta que as plantas nos fazem – temos de valorizar o seu papel de topo... recolocando o seu espaço ... no topo! Sim, sobretudo nas cidades de onde as retiramos para construir as nossas casas podemos/devemos permitir que as plantas exibam as muitas funções que contribuem para o nosso bem estar e qualidade de vida.
A naturalização de paisagens urbanas é possível com coberturas verdes, seja em telhados ou em paredes. Os serviços ecossistémicos prestados por coberturas verdes são muitos, e nestes, as plantas são... TOP!
Conseguiremos aumentar a sustentabilidade no nosso planeta se as plantas com as suas múltiplas funções, nos ajudarem a reciclar? As plantas conseguirão dar nas vistas se as plantarmos sobre resíduos industriais? Com o nosso engenho e o contributo das plantas poderemos acionar a economia circular, dando valor a muitos VALORES.
Iniciativa promovida pelo projeto STOL-Science Through Our Lives, projeto de Comunicação de Ciência do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho, em parceria com a Associação Nacional de Coberturas Verdes (ANCV).
Público alvo: Estudantes, professores, autarcas, público generalizado.
Local: Online.
Horário: dia 18 de maio, às 17h30.

icapmina.jpg


logos-banner2.jpg