Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
EN PT
banner.png

 Noite Europeia dos Investigadores 2019

A Escola de Ciências da UMinho volta a integrar um programa universitário da Noite Europeia dos Investigadores, este ano dedicada ao tema “SCICITY - Science in the City”, que irá decorrer no dia 27 de setembro de 2019, num consórcio com a Universidade de Lisboa, Universidade Nova de Lisboa, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, Universidade de Évora, Câmara Municipal de Lisboa e Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.
 
Na Escola de Ciências da UMinho, a equipa do projeto é constituída por José Brilha (coordenador), Alice Dias, Ana Carvalho, Cristina Aguiar, João Paulo André, Jorge Pamplona, Luís Gonçalves, Maria Antónia Forjaz, Maria Teresa Almeida, Mário Rui Pereira, Nuno Castro e Paulo Alexandre Pereira.
 
A Escola de Ciências da UMinho coordenará todas as atividades que decorrerão nessa noite em Braga, no Altice Forum Braga.

A Noite Europeia dos Investigadores é uma iniciativa que pretende quebrar as barreiras que separam a Ciência dos cidadãos e desmistificar a imagem do cientista distante e inacessível. "Ciência na Cidade" é o tema que serve de ponto de partida para as atividades deste ano, que se propõem a: a) sensibilizar os cidadãos, em particular os jovens, para a inovação e a investigação em curso para combater o impacto das mudanças globais e preservar o património natural e cultural; e b) aproximar os investigadores das comunidades urbanas, possibilitando oportunidades para que essas comunidades expressem suas preocupações e expetativas em relação à investigação e à ciência em geral.
Como sub-tema temos a “Preservação do Património Cultural”, ao nível da promoção de medidas de adaptação para combater as mudanças globais nas comunidades urbanas, apoiando-se nas dimensões social, económica e ambiental da sustentabilidade, e promovendo a relevância da ciência e da investigação para garantir a qualidade de vida no futuro.
 
Para além das atividades durante a Noite, iremos promover uma série de atividades preparatórias, que decorrerão no mês de setembro, de forma a cativar o público em geral para este grande evento e, mais eficazmente, divulgar a ciência e o papel dos nossos cientistas na qualidade de vida do cidadão comum, no seu dia-a-dia.

Esperamos que esta Noite Europeia dos Investigadores continue o sucesso crescente das edições anteriores.

SCICITY - Science in the City – is a Portuguese consortium for the European Researchers’ Night (ERN). The project uses the motto ‘science in the city’ (SCICITY) as a point of departure to achieve two main goals: (i) raise citizens’ awareness, particularly young people, towards innovation and research being conducted in Europe to face the impact of global changes and preserve natural and cultural heritage; and (ii) bring researchers closer to urban communities, enabling meaningful opportunities for these communities to express their concerns and expectations about research and, more generally, about science..
The SCICITY consortium is coordinated by the University of Lisbon through its National Museum of Natural History and Science (MUHNAC). It combines major universities in Portugal – Minho, Nova University of Lisbon, the University Institute of Lisbon, Evora University, Estoril Higher Institute for Tourism and Hotel Studies and the Municipality of Lisbon, together with other associated partners from the academic sector, industry, NGOs and civil society. It covers the most populated regions of Portugal, with direct and indirect impacts expected to reach thousands of people, particularly the youth.NEI Silhueta 2.png

Atividades Preparatórias
Conjunto de atividades que antecedem a Noite de 27 de setembro.

Concurso de Fotografia "Ciência na Cidade"
Concurso promovido no âmbito da Noite Europeia dos Investigadores 2019, com o objetivo de desafiar o público em geral a captar a presença da Ciência nas nossas cidades.

Mais informações »»
Regulamento »»
Formulário de inscrição »»
Declaração de cedência de direitos de exibição »»

 
Ciclo de workshops Ciência na Cidade!
 
  • 14 de setembro, 08h15-13h30– “Doce viagem – do apiário à melaria”
    Atividade organizada em parceria com a Scientia.com.pt e a Casa do Couto.
    Sabia que uma abelha dura em média cerca de 40 dias? E que uma rainha tem uma esperança média de vida de 2 a 3 anos?
    Venha conhecer as abelhas e os vários produtos da colmeia - pelo trilho pedonal desfrute da deslumbrante beleza das paisagens naturais das vertentes transmontanas do Parque Nacional da Peneda Gerês.
    Mais informações »»
    Inscrições até 8 de setembro em https://forms.gle/dsnmHC8YPGVXFTLw7  
  • 20 de setembro, 09h15-13h30– “Não à água 'por água abaixo' !...”
    Atividade organizada em parceria com a Águas do Norte.
    O tratamento das águas residuais é fundamental à sua preservação e ao controlo da sua crescente escassez. Além disso, as previsões da diminuição de recursos hídricos em muitas regiões do globo exigem uma mudança de paradigma em relação às águas residuais. É fundamental consciencializar as pessoas que as águas residuais têm de deixar de ser vistas como resíduos (lixo), para passarem a ser vistas como um recurso, constituindo um fator chave no conceito de economia circular.
    Nesta atividade, com o intuito de consciencializar o público para a importância do tratamento de águas residuais, serão visitados dois diferentes sistemas de tratamento: uma FitoETAR (localizada em Parada do Bouro, Vieira do Minho), e uma ETAR que funciona pelo sistema de lamas ativadas. Será explicado o papel fundamental dos microrganismos (bactérias e não só!) na degradação da matéria orgânica presente na “água de esgoto”, que trabalham sobretudo nos bioreatores – os leitos de plantas das FitoETAR e o tanque de arejamento das ETAR por lamas ativadas.
    Mais informações »»
    Inscrições até 15 de setembro em https://forms.gle/UvsVdCRhudBAAoPx5   
  • 21 de setembro, 09h30-12h30– “Compostagem Doméstica”
    Atividade organizada em parceria com o Projeto Res2ValHum e a BRAVAL.
    A compostagem doméstica baseia-se na utilização de desperdícios alimentares e verdes. Permite reduzir a quantidade de resíduos enviados para aterro e criar valor a partir de resíduos transformando-os num corretivo agrícola orgânico. Assim, a compostagem é um dos melhores exemplos de participação coletiva para um bem comum e de economia circular, permitindo reutilizar, preservar, valorizar e assegurar recursos essenciais para o nosso futuro.
    Na primeira parte deste workshop, a cargo da Engª Susana Domingues (Braval), o processo de compostagem e os cuidados a ter no processo serão discutidos. Será apresentada uma breve referência à legislação em vigor sobre fertilizantes naturais, corretivos e adubos. A segunda parte do Workshop irá decorrer no espaço das hortas comunitárias da Universidade do Minho, onde se encontra um compostor em funcionamento e algumas culturas obtidas com e sem composto. Será ainda demonstrado como construir um compostor a partir de materiais simples.
    Mais informações »»
    Inscrições até 15 de setembro em https://forms.gle/os5xsPqrDD4c5Bkn9  

"Pint of Science" Especial Noite Europeia dos Investigadores Portugal (3).png
O festival “Pint of Science” associa-se à Noite Europeia dos Investigadores, com uma edição especial que ocorrerá em Braga nos dias 6, 13 e 20 de setembro,  nos bares “Barhaus”, “Setra” e “Letraria”, respetivamente.
O dia 6, com início às 21h30,  é dedicado à origem da genética portuguesa e a viagens pelo mundo da geodiversidade, com os investigadores Pedro Soares (Centro de Biologia Molecular e Ambiental) e Paulo Pereira (Instituto de Ciências da Terra).
No dia 13, às 20h30, os temas incidem sobre as baterias amigas do ambiente e como valorizar a urina humana, com Maria Manuela Silva (Centro de Química) e Sónia Barbosa (Centro de Engenharia Biológica).
Já no dia 20, às 21h30, fa​la-se sobre o contributo da estatística para uma vida mais longa e os desafios da ciência e tecnologia alimentar, com as apresentações de Pedro Afonso (Centro de Biologia Molecular e Ambiental) e Ricardo Pereira (Centro de Engenharia Biológica).
A iniciativa visa transmitir o conhecimento e a discussão científica de forma clara para todos, através de conversas informais em bares, e pode incluir surpresas no intervalo das sessões. “Pint of Science” é uma associação sem fins lucrativos, cujo conceito nasceu em 2012 pelos neurocientistas Michael Motskin e Praveen Paul, do Imperial College (Reino Unido). O festival chegou a 21 países em 2018, incluindo Portugal, tendo-se estreado em Braga em maio de 2019.
Entrada livre.
Cartaz POS NEI2019 »»

NEI Silhueta 2.png  

Programa - 27 de setembro

Local: Altice Forum Braga, Braga.
Horário: 15h00-24h00
Entrada livre.
Estacionamento livre - entrada pelas traseiras do Fórum (Fujacal/Lomar/antigo espaço da feira municipal) - mapa.
15h00-24h00 - Atividades experimentais, demonstrações e exposições

Nos vários postos instalados no Altice Forum Braga, os visitantes de todas as idades poderão interagir com investigadores de diferentes áreas científicas e participar num conjunto diversificado de atividades que procuram demonstrar a relevância da ciência para assegurar a qualidade de vida nas cidades do futuro e a preservação do património cultural e natural como fator essencial à sustentabilidade:

  • Cidades Sustentáveis e Biocombustíveis de 3a geração
    Este projeto engloba algumas atividades práticas para explicar o modo de produção de biocombustíveis. Também será dado destaque ao potencial dos biocombustíveis, principalmente os de 3a geração, na criação de cidades mais sustentáveis.
  • A vida dentro do sobreiro: do gene ao cogumelo
    Existem muitos microrganismos que vivem dentro do sobreiro: nas folhas, nas raízes e até no tronco. Os microrganismos mais abundantes são bactérias e fungos. Alguns destes microrganismos têm atividade antibiótica e outros são simbióticos, ou seja, ajudam no crescimento das plantas. Mais ainda! Alguns destes fungos que vivem dentro do sobreiro dão origem a cogumelos. Mas o mais interessante é que estes microrganismos ajudam o sobreiro a sobreviver ao Verão Alentejano. Mas será que o sobreiro não possui genes de resistência à secura? A utilização de uma planta modelo, Arabidopsis thaliana, mutante com genes de sobreiro pode ajudar a compreender. O que será que se passa dentro do sobreiro?
  • Bee You — Scientia das abelhas
    A atividade decorrerá na sequência da atividade preparatória levada a cabo sobre as abelhas e o seu mundo. Incluirá trabalhos hands-on para os mais pequenos, construções geométricas, observação de um favo de mel e prova de mel diretamente do favo/ quadro. Poderão ser observados instrumentos usados na apicultura e produtos derivados do mel.
  • Valorização de resíduos orgânicos
    A atividade a desenvolver pelos visitantes à NEI envolve semear num vaso biodegradável uma planta aromática recorrendo a uma mistura de composto proveniente de compostagem industrial e terra. Esta mistura será preparada no momento por cada um dos participantes. Em simultâneo serão exibidos produtos agrícolas que foram produzidos com e sem recurso a suplementação com composto, evidenciando as diferenças de desenvolvimento.
    Será fornecido um link (na forma de QR Code) com indicação das condições ambientais adequadas ao desenvolvimento de cada planta. Os participantes são convidados a enviar fotos criativas mostrando o crescimento saudável da sua planta.
  • (Micro)Plásticos nos ecossistemas aquáticos: Uma ameaça gobal?
    Esta atividade tem como objetivo dar a conhecer ao público (crianças, adultos e séniores) que o mundo dos plásticos não se baseia só nos plásticos “grandes” (sacos, copos, garrafas…), mas que também nos “micro” plásticos que têm origem em vários produtos usados no dia a dia como gel de banho, esfoliantes, pasta de dentes. A atividade pretende explicar como estes microplásticos podem ir parar aos sistemas aquáticos, como os rios e os mares, e mostrar como os animais presentes nestes ecossistemas podem acumular estes plásticos no seu organismo, transportando estes contaminantes ao longo das cadeias alimentares até poderem chegar aos seres humanos. Para o público entender o que pode ser feito para minimizar os efeitos dos plásticos será abordada a questão da reciclagem e biodegradação. Especificamente falaremos que alguns fungos que se encontram nos ecossistemas aquáticos poderão ter a capacidade de biodegradar os microplásticos. Para uma melhor interação com o público e o documentar esta questão, estarão disponíveis produtos que contêm microplásticos, microplásticos e alguns organismos que podem sofrer pela sua presença nos ecossistemas de água doce.
  • Tabela Periódica em croché / Homo numericus - A Química em nós
    Em 2019 em que se comemora a Tabela Periódica dos Elementos Químicos, e a acompanhar a Tabela Periódica em croché de mais de 17m^2, propomos esta pequena mostra consistindo num roll up infográfico que traduz, em números, aspectos curiosos da Química do nosso corpo e em alguns objectos ilustrativos que concretizam de forma muito simples os números abordados, proporcionando uma experiência diferente e muito visual no contacto com a Ciência.
  • Micropolis
    Micropolis é um stand expositivo associado a diversos materiais didácticos e actividades hands-on que pretende alertar para o papel dos microrganismos nos vários campos (saúde, ambiente e alimentação). Alguns temas "quentes" da investigação actual são o (i) microbiama humano e a sua ligação a determinadas doenças e (ii) a resistência aos antibióticos. Abordaremos estes aspectos de forma visual e linguagem desconstruída com objectivo de verdadeiro serviço público.
  • Nemátodes na cidade
    Os nemátodes são os animais mais abundantes e diversos do Planeta, colonizando no seu conjunto todo o tipo de habitats. Pela sua dimensão microscópica, podem passar despercebidos, mas os seus efeitos são muito visíveis. No solo, intervêm em processos-chave, como a reciclagem de nutrientes, e contribuem para a estrutura e funcionamento dos ecossistemas. No entanto, alguns grupos de nemátodes são parasitas de plantas, condicionando o seu desempenho e distribuição. Nesta atividade, convida-se o público a conhecer e apreciar os impactos destes organismos no ambiente, particularmente nas culturas hortícolas e nos relvados ornamentais e desportivos.
    Serão mostrados nemátodes vivos para observação ao microscópio; serão ainda mostrados batateiras, tomateiros e relva com o sistema radicular exposto para ilustrar os danos provocados por nemátodes fitoparasitas. Serão ainda apresentados conteúdos sobre os nemátodes e a sua importância, na forma de painel.
  • Da uva ao vinho
    A levedura Saccharomyces cerevisiae é a levedura fermentativa de eleição na produção do vinho, transformando os açúcares presentes nas uvas em álcool. Nesta atividade, será explorado o papel desta levedura na produção do vinho tinto, desde o esmagamento das uvas até à obtenção do produto final.
  • Diatomáceas - algas unicelulares que vivem em casinhas de vidro que interagem com a luz
    As diatomáceas são organismos unicelulares do reino protista. Uma diferença morfológica notável das diatomáceas em comparação com as células vegetais consiste na presença de um esqueleto poroso feito de silica (SiO2). Os poros deste esqueleto formam estruturas fotónicas que interagem com a radiação eletromagnética. Atualmente, investigamos os efeitos de herbicidas à base de glifosato e de metais pesados ​​na fisiologia e na morfogénese de diatomáceas cultivadas em laboratório e em amostras recolhidas em estuários ao longo da costa de Portuguesa.
  • A evapotranspiração das plantas – como varia com a secura e o calor e como as podemos proteger?
    As videiras necessitam anualmente de 500 milímetros de água da chuva para que as folhas possam realizar a fotossíntese e as uvas amadureçam. Sob temperaturas mais quentes essa média de precipitação sobe para 750 mm a 1.200 mm, já que a evaporação dos solos e a transpiração das folhas aumenta significativamente. Com o atual panorama das alterações climáticas, o período de Verão na região Demarcada do Douro, bem como noutras regiões onde tradicionalmente se produz vinho, tornou-se mais quente e seco, provocando fortes constrangimentos à produtividade. Assim, é urgente o desenvolvimento de estratégias para a mitigação dos efeitos negativos de stresses ambientais como a secura extrema e excesso de calor. Com esse desígnio, o projeto de investigação MitiVineDrought visa o desenvolvimento e validação ao nível molecular, bioquímico e fisiológico de tais estratégias, por via da aplicação exógena de compostos protetores.
    Nesta atividade, será possível observar em tempo real a evapotranspiração de uma planta, assim como os efeitos da luminosidade e vento no movimento da água pelos tecidos vasculares..
  • Sondagem eléctrica do subsolo - medindo a resistencia eléctrica na pesquisa de recursos
    Medição da resistência eléctrica de diferentes tipos de solo, com recurso a equipamentos simples como voltímetros e amperímetros, para exemplificar a utilização das propriedades eléctricas do subsolo na prospecção de recursos geológicos.
  • Voando sobre o futuro - os VANT (Drones)
    Demonstração do potencial dos VANT (veículos aéreos não tripulados - Drones) na investigação científica. Será realizado um voo teste e serão mostradas algumas das potencialidades da sua utilização como ferramenta no apoio à criação de um futuro mais sustentável.
  • Ver o Invisível - Utilização do Georadar na observação do subsolo
    Demonstração do equipamento de Georadar e das suas potencialidade na observação do subsolo, nomeadamente na capacidade de detectar estruturas soterradas (ex. vestígios arqueológicos, canalizações, condutas, recursos, nível freático, cavidades, etc.).
  • A física de partículas no dia a dia
    Nesta atividade vamos demonstrar que as partículas fundamentais estão em toda a parte e ilustraremos como detetar alguns tipos de partículas usando uma câmara de faíscas e contadores geiger. Mostraremos também como podemos aprender mais sobre as partículas elementares usando raios cósmicos e aceleradores de partículas.
  •  Vamos brincar com a luz: optometria, óptica e ciências da visão
    Demonstrações (em contínuo): lentes, processo de focagem da luz, optometria, óptica visual. Sensibilização: para problemas da visão comuns em adultos e crianças.
  • Vamos construir uma Célula Fotovoltaica
    Nesta atividade os participantes irão construir a sua própria célula fotovoltaica (CFV). As células a construir são de um tipo de corante, também denominadas de células de Grätzel. Na atividade irão aprender quais os constituintes fundamentais de uma CFV, qual a função de cada um deles e verificar como podem construir uma CFV utilizando vários materiais do seu dia-a-dia incluindo diferentes corantes extraídos de produtos naturais, como framboesas, amoras, mirtilos, etc.
  • Os materiais inteligentes:  da origem às cidades inteligentes
    A nova dinâmica das cidades e as tendências de reconfiguração das áreas urbanas têm como objetivo colocar o foco nas pessoas e nas suas necessidades, criando uma maior necessidade de ligação e desenvolvimento do território. Com a massificação da tecnologia associada à Internet das Coisas (IoT), as cidades do futuro serão necessariamente Cidades Inteligentes, orientadas às necessidades dos cidadãos, sob pena de perderem competitividade na atração de pessoas e investimentos reprodutivos, geradores de empregos sustentáveis. Para estas cidades inteligentes precisamos de materiais igualmente … inteligentes!!!
    Esta atividade tem como objetivo dar a conhecer esses mesmo materiais, nas diferentes áreas de investigação no Centro de Física da Universidade do Minho e no grupo Electroactive Smart Materials. O trabalho experimental envolve a elaboração/utilização de novos materiais baseados em polímeros e nano- partículas que podem ser utilizados como sensores de força, deformação, vibração, campo magnético e corrente elétrica (entre outos); e mais tarde incorporados em diversos dispositivos tecnológicos … inteligentes.
  • Batteries for smart cities
    O que são e como funcionam as baterias de ião-lítio?
  • Qual é a tua Pegada Ecológica?
    Nesta actividade irá ser feito um questionário individual para medir a pegada ecológica do público na Noite Europeia dos Investigadores 2019. Iremos projetar um questionário interativo que no final, após análise estatística das respostas, irá dar uma estimativa da pegada ecológica do participante. Esses dados serão introduzidos numa base de dados que será atualizada em tempo real, para simultaneamente, termos resultados globais da pegada ecológica do público da NEI2019 com auxílio de gráficos e tabelas. Em conformidade com o RGPD os participantes irão assinar uma autorização para a recolha destes dados.
  • Chemistry Anywhere
    8 posters ilustrativos de temas como saúde e bem estar, a Química nos alimentos, na reciclagem de recursos e na qualidade do ambiente. O objetivo é ilustrar alguns dos domínios onde a Bioquímica e Química podem contribuir para a preservação do património, do ambiente, da saúde e do bem-estar da população.
  • Química na cidade
    Conjunto de atividades demonstrativas da presença na Química e Bioquímica na preservação do património, no ambiente, na saúde e no bem-estar da população
  • Há Química nos Jardins da Cidade!
    Nesta atividade “hands-on” pretende-se desvendar a Química escondida na beleza das cores da cidade. Quem não se sente fascinado ao observar a magnífica galeria de arte patente num jardim cheio de flores! Quem pinta e dá brilho aos jardins da cidade? A luminosidade dos amarelos, laranjas e vermelhos e a suavidade dos tons cor de rosa, púrpura ou azul devem-se a três classes de pigmentos: as clorofilas, os carotenóides e os flavonóides. Estas cores da Vida estão presentes nos frutos e vegetais que nos alimentam e nos protegem de doenças graves como cancro, diabetes e doenças neurodegenerativas e cardiovasculares.
    É a Química da Vida que Protege, Pinta e dá Brilho à Cidade!
  • Mentes presentes para desafios futuros: Pode a psicologia ajudar-nos a lidar com as exigências psicológicas e cognitivas das futuras cidades?
    Como indivíduos, temos de enfrentar níveis crescentes de stress impostos por uma sociedade que vive num ritmo acelerado e em sobrecarga de estimulação gerada pelas novas tecnologias que facilitam o acesso imediato aos mass media, redes sociais e uma quantidade cada vez maior de publicidade.
    Além disso, desejamos os benefícios de um estilo de vida saudável e ativo (mesmo na velhice!), bem como comportamentos e hábitos que podem aumentar o nosso bem-estar e a nossa resiliência. Finalmente, como indivíduos e como sociedade, teremos que enfrentar o aquecimento global e mudanças decorrentes das alterações climáticas num futuro próximo. Assim, através de um conjunto de atividades interativas, a Escola de Psicologia irá explorar com o público as respostas para algumas questões-chave, tais como: As mudanças climáticas afetam a nossa saúde mental? Podem as capacidades cognitivas ser afetadas pela sobrecarga de estímulos digitais que processamos diariamente? Como é que a psicologia nos pode ajudar na adaptação e navegação numa sociedade em rápida evolução? Venha e ajude-nos a descobrir!
  • Conservar o Passado para Garantir o Futuro da nossa Alimentação
    Pretende-se demonstrar a necessidade da conservação dos recursos genéticos vegetais para a Alimentação e Agricultura às novas gerações e ao público em geral.
  • A ciência na arte
    A atividade tem como objectivo dar conhecer o processo evolutivo da produção das tintas artísticas. Desde as matérias-primas, o seu processamento com a criação dos ligantes e pigmentos até à criação da tinta.
  • Ciência e Tecnologia – um contributo para a sustentabilidade natural e cultural
    Stand demonstrativo, expositivo e interativo com 4 atividades de ciência, que pretende consciencializar para a necessidade da preservar o ambiente natural, sensibilizar para o uso de produtos amigos do ambiente e evidenciar o valor dos materiais reutilizáveis, tudo em prol da sustentabilidade do património natural e cultural.
    “Pasta de dentes com ciência” relaciona higiene oral e sustentabilidade, recorrendo a plantas, óleos essenciais e argilas, produz-se uma pasta de dentes natural com propriedades medicinais.
    “Creme de mãos com ciência” fabrico de creme de mãos caseiro à base de plantas e uma gordura obtida a partir da lã de ovelha.
    “A cidade polui o oceano” atividades práticas de compreensão do impacto negativo proveniente das cidades na gestão de resíduos, como as mini partículas de plástico existentes em inúmeros produtos e que vão ter aos oceanos.
    “Susten(h)abilidade” atividades práticas de criação de esfoliantes naturais esferas de biodegradáveis.
  • Valorização de Resíduos
    Exposição de diferentes fases do tratamento/valorização de resíduos.
  • ​MatLab
    Nesta actividade serão disponibilizados aos visitantes vários quebra-cabeças que irão por à prova a sua capacidade de raciocínio. Pretendemos assim realçar a importância da persistência para alcançar os objetivos a que nos propomos.
  • Como é que conseguiremos reduzir o consumo de plásticos no mundo?
    O plástico é um material que é usado em grande escala. A maioria dos plásticos que são usados hoje em dia, provêm do petróleo, o que significa que podem demorar mais de um século para se degradar. Nada no nosso ambiente natural é capaz de degradá-los facilmente. Uma alternativa ecologicamente correta ao plástico são os Bioplásticos. Os bioplásticos são plásticos biodegradáveis que possuem componentes derivados diretamente de matérias-primas vegetais renováveis. Alguns bioplásticos podem degradar-se em questão de semanas. Na nossa experiência, decidimos fazer o nosso bioplástico a partir do amido de batata, fazendo variar a quantidade de amido e testar a flexibilidade do plástico obtido através do método que pretendemos implementar. Desta forma, apresentaremos um alternativa mais amiga do ambiente para substituir ou reduzir o uso de plástico no nosso dia-a-dia.
  • Método Hidropónico ou plantação em solo?
    O objectivo do nosso projeto foi estudar dois métodos de cultivo de plantas diferentes, o método hidropónico e o método tradicional de solo. Para isso, usamos as sementes de alface como modelo e focamo-nos no tempo de germinação assim como na altura da planta ao longo de 4 semanas. Desta forma pretendemos verificar qual dos métodos será mais vantajoso para implementar num modelo de horta vertical, em ambiente de cidade. A finalidade desta investigação tem conta base informar e incentivar a população a investir no tipo de cultivo hidropónico de forma a que consigam fazer crescer os seus próprios vegetais sem necessidade de terreno ou grande espaço, e assim tornarem-se mais autossustentáveis.
  • O que será melhor, evolução das espécies ou alterações genéticas?
    O nosso projeto pretende dar resposta a uma pergunta simples e ao mesmo tempo complexa. “O que será melhor, evolução das espécies ou alterações genéticas”. Dedicámos o nosso tempo a pesquisar artigos e estudos acerca de como a opiniões/ visões sobre alterações genéticas mudaram ao longo do tempo. Usando estes estudos analisamos os lados positivos e os menos positivos inerentes a este tema. Fizemos um apanhado de todas as vantagens que as alterações genéticas podem trazer para o ser humano, assim como para o nosso ecossistema. Por outro lado, também nos debruçamos sobre a grande descoberta do CRISPR, uma forma revolucionária de manipulação genética que usa uma arma de defesa descoberta em bactérias. No final de toda a nossa pesquisa tentámos elaborar a melhor resposta para a nossa questão inicial e chegámos à conclusão que “neste momento seria melhor não interferir com a natureza até conhecermos melhor a ciência por traz de isto, assim como da nova ferramenta CRISPR, mas devemos continuar a investir neste tipo de estudo para que no futuro possamos utilizá-lo a nosso favor para salvar determinadas espécies do nosso planeta.
  • Comemoração do Ano Internacional da Tabela Periódica (TP)
    Mostra dos vários trabalhos realizados pelos alunos durante o ano letivo: TP em azulejo, TP humana, TP na sala de aula.
     
16h30 / 21h00 - Performance " O Futuro, agora!"
Performance apresentada por alunos e ex-alunos da Licenciatura em Teatro da UMinho.
 
21h30 - Tertúlia " 'A minha casa é aqui!' As migrações forçadas pela instabilidade ambiental "
[Pequeno auditório]
Tertúlia alusiva ao tema da migração de populações devido a desequilíbrios ambientais. Um leque de especialistas nas áreas das ciências políticas, sociais e ambiente irá discutir as implicações dos acontecimentos associados a esta temática na população mundial.
Convidados: Anabela Carvalho (Ciências Sociais), Bruno Castro (Biólogo) e Isabel Estrada (Relações Internacionais).
Moderação: Samuel Silva (jornalista do Público).

  • Anabela Carvalho (Professora Associada no Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho) tem como foco a comunicação e ambiente, comunicação e ciência, e comunicação e envolvimento político, com particular incidência no tema das alterações climáticas.
  • Bruno Castro (Professor e Investigador no Departamento de Biologia da Universidade do Minho) interessa-se por várias problemáticas ambientais. Tem como motivação a construção de alicerces científicos sólidos que permitam abordar as ameaças aos sistemas naturais (enquanto recurso, herança natural, e suporte de biodiversidade e serviços), com particular enfoque nos ecossistemas de água doce.
  • Isabel Estrada (Professora Associada da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho) tem escrito sobre a inclusão política de imigrantes em Portugal, sobre as estruturas de oportunidades políticas e formas de manifestação política dos imigrantes e cidadãos de origem migrante.
 
23h00 - Entrega dos prémios do concurso de fotografia "Ciência na Cidade"
[Pequeno auditório] 
 
 
Atividades com Inscrição
Com inscrição prévia e número limitado de participantes:
 
  • À Volta dos Macacos! Exercício performativo inspirado na investigadora Jane Goodall[15h30-16h30]
    Quando era uma cientista novata, Jane Goodall ficou famosa pelos estudos pioneiros sobre os chimpanzés na África. Raras imagens ilustram o seu projeto na selva, as concessões que precisou fazer e o fotógrafo que ela amou. Aventuras sem fim…
    Dinamização a cargo de Rita Campos (Animantes).
    Organização: Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva .
    Para crianças e jovens dos 6 aos 10 anos.
    Formulário de inscrição»»
  • Amor Elétrico [16h00-17h30]
    Workshop de eletrónica criativa que combina eletrónica e materiais reutilizáveis na construção de um postal alusivo aos Lenços dos Namorados, património cultural de Vila Verde. Para crianças e jovens dos 8 aos 14 anos.
    Formulário de inscrição»»
  • Construção de um detetor de partículas [16h00-17h00 / 18h00-19h00]
    Workshop destinado a ilustrar, com as mãos na massa, como podemos contruir um detetor de partículas, permitindo ver o (aparentemente) invisível! Idade mínima 10 anos.
    Formulário de inscrição »»
  • Construção de um olho artificial [18h00-19h00]
    Neste workshop vamos montar um olho artificial com capacidade de formar imagens a partir de material comum. Idade mínima 5 anos.
    Formulário de inscrição»»
  • CTEM CodeLab [21h00-22h00]
    Neste workshop pretendemos usar a robótica e a programação para potenciar o conhecimento científico-tecnológico, estimular a criatividade no desenvolvimento de soluções que contribuam para a sustentabilidade e a melhoria da qualidade de vida nas cidades do futuro. Cada participante deverá usar o seu portátil. Para maiores de 13 anos.
    Formulário de inscrição»»
  • CTEM RoboLab  [21h00-22h00]
    Neste workshop pretende-se evidenciar as potencialidades da robótica na preservação do meio ambiente das gerações futuras. Vamos construir e programar um robô capaz de fazer a triagem e separação de objetos para depois serem reciclados. Para crianças e jovens dos 7 aos 14.
    Formulário de inscrição»»
 

NEI Silhueta 2.png 
Contactos:
neinvestigadoresbraga@gmail.com
https://www.facebook.com/noitedosinvestigadorespt/
http://noitedosinvestigadores.org/

 
This project has received funding from the European Union’s Horizon 2020 research and innovation programme Marie Skłodowska Curie actions under proposal No 819161.
A Noite Europeia dos Investigadores é um projeto financiado pela Comissão Europeia no âmbito das ações Marie Sklodowska-Curie.
Programa Horizonte 2020 Investigação & Inovação.
comissão+parceiros-institucionais_.jpgparceiros-locais.jpg outros-parceiros-e-apoios_v3.jpg

 Edições Anteriores

Noite Europeia dos Investigadores 2018 »»

Noite Europeia dos Investigadores 2017 »»

Noite Europeia dos Investigadores 2016 »»
 
Noite Europeia dos Investigadores 2015
Cartaz »»
Programa »»

Noite Europeia dos Investigadores 2014
Cartaz »»
Programa »»

Noite Europeia dos Investigadores 2013
Cartaz »»
Programa »»

Noite Europeia de Investigadores 2012
Cartaz »»
Programa »»